Custos da construção civil desaceleram para 0,38% em outubro

O acumulado do Sinapi nos últimos 12 meses, no entanto, está em 12,41%

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), divulgado nesta quinta-feira (10) pelo IBGE, subiu 0,38% em outubro, mas desacelerou 0,06 ponto percentual (p.p.) em relação à taxa de setembro (0,44%). Pelo segundo mês consecutivo, este foi o menor resultado registrado desde julho de 2020. No acumulado nos últimos doze meses, a taxa é de 12,41%. Em outubro de 2021 o índice foi de 1,01%.

“Estamos captando um ritmo de desaceleração em relação ao período da pandemia de Covid-19, o que vem trazendo o índice para patamares mais próximos da série histórica pré-pandemia”, afirma o gerente da pesquisa, Augusto Oliveira.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em setembro fechou em R$ 1.669,19, passou em outubro para R$ 1.675,46, sendo R$ 1.000,36 relativos aos materiais e R$ 675,10 à mão de obra.

O gerente do Sinapi ressalta que os materiais, que puxaram as altas na época da pandemia, têm sido o balizador da desaceleração em 2022. A parcela dos materiais cresceu 0,04%, percentual 0,49 p.p. inferior ao do mês anterior (que registrou 0,53%) e 1,23 p.p. menor que na comparação com outubro de 2021 (1,27%).

Já a parcela da mão de obra, com taxa de 0,88% em outubro, subiu 0,57 p.p. em relação ao mês anterior (0,31%), influenciada por quatro acordos coletivos no período. Comparando com outubro do ano anterior (0,64%), houve aumento de 0,24 ponto percentual.

Os acumulados no ano foram: 9,93% (materiais) e 11,70% (mão de obra). Já os acumulados em doze meses ficaram em 12,60% (materiais) e 12,07% (mão de obra), respectivamente.

Região Centro-Oeste registra a maior variação mensal

Apesar do índice negativo registrado no Mato Grosso do Sul, a Região Centro-Oeste apresentou a maior variação regional em outubro, 1,59%, influenciada, sobretudo, pelo acordo coletivo observado no estado do Mato Grosso. As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 1,46% (Norte), 0,25% (Nordeste), -0,03% (Sudeste), e 0,27% (Sul).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.678,09 (Norte); R$ 1.560,37 (Nordeste); R$ 1.736,74 (Sudeste); R$ 1.750,43 (Sul) e R$ 1.709,83 (Centro-Oeste).

Mais sobre o SINAPI

O Sinapi, uma produção conjunta do IBGE e da Caixa Econômica Federal, tem por objetivo a produção de séries mensais de custos e dies para o setor habitacional, e de séries mensais de salários medianos de mão de obra e preços medianos de materiais, máquinas e equipamentos e serviços da construção para os setores de saneamento básico, infraestrutura e habitação.

As estatísticas do Sinapi são fundamentais na programação de investimentos, sobretudo para o setor público. Os preços e custos auxiliam na elaboração, análise e avaliação de orçamentos, enquanto os índices possibilitam a atualização dos valores das despesas nos contratos e orçamentos. Acesse os dados no Sidra.

Fonte: Agência IBGE

Print Friendly, PDF & Email

Fale Conosco

Print Friendly, PDF & Email
Inscrição

Enviar Carta