Clube de Engenharia
Fundado em 1880

O que você procura?
Revista
Autores
Categorias
Subcategorias
Tags

Firjan estima em US$ 100 bilhões os investimentos em energia e infraestrutura

Estado do Rio pode receber US$ 60 bi para projetos de exploração e produção de petróleo e gás até 2025 e US$ 40 bi voltados para usinas eólicas offshore

A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) estima que o estado tem potencial para atrair investimentos nas áreas de petróleo e gás, infraestrutura e energia elétrica, que somados podem atingir a cifra de US$ 100 bilhões. Foram mapeados 45 empreendimentos pela entidade em vias de serem executados. São iniciativas que devem movimentar a economia local e gerar novos empregos.

O Presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, afirmou que energia e economia do mar são agendas de protagonismo no estado. “A federação mapeou a existência de, ao menos, 45 projetos em petróleo, gás natural e novas energias a longo prazo. São cerca de US$ 60 bilhões programados em projetos de exploração e produção até 2025 e US$ 40 bilhões em projetos não sobrepostos de eólicas offshore, em águas fluminenses”, explicou, Gouvêa Vieira, durante um evento realizado pela entidade na última terça-feira (24/01).

O presidente em exercício da Firjan, Luiz Césio Caetano, ressaltou que a federação elaborou uma ‘Pauta Prioritária’ para o setor, derivada da agenda ‘Propostas Firjan para um Brasil 4.0, formulada após ouvir mais de 600 lideranças empresariais fluminenses. “Os temas prioritários para a indústria são: hubs de energia de classe mundial com conceito porto indústria e conexão logística, geração distribuída de energia elétrica a partir da fonte solar, gás natural como potencial transformador econômico, eólicas offshore no horizonte energético, mercado de hidrogênio como agenda de futuro, indústria naval como vocação natural e mercado de petróleo como catalizador de desenvolvimento”, enumerou.

O documento elaborado pela Firjan foi dividido quatro pilares: “Ambiente de negócios”, “Infraestrutura”, “Capital humano” e “Eficiência do estado”. O objetivo é preparar as indústria para uma nova realidade, com foco no aumento da produtividade, essencial para a retomada econômica brasileira nos próximos anos. Ao todo, são 62 propostas de abrangência nacional e 41 propostas estaduais que contribuíram para o planejamento de políticas públicas para os governos federal e estadual.

Na reunião em que foram apresentados os principais projetos de energia e petróleo e gás, o novo secretário estadual  de Energia e Economia do Mar Rio, Hugo Leal, destacou a importância da complementaridade entre as diferentes fontes de energia com potencial de desenvolvimento no estado. “Não podemos abrir mão do petróleo e gás, nossos principais ativos. Mas não podemos perder as perspectivas das energias renováveis. Temos a energia solar, a eólica offshore, o biogás e biometano, a produção do hidrogênio e fertilizantes. Além disso, tem a economia do mar, com o setor naval. São temas que devem estar em sintonia com Brasília, onde são adotadas as legislações pertinentes”, disse o secretário.

Estiveram presentes na apresentação do estudo, representantes da indústria e dos Conselhos Empresariais de Petróleo e Gás, Infraestrutura e Energia Elétrica da federação.

Foto: Agência Brasil

Print Friendly, PDF & Email

Recomendado

Próximos Eventos

  • Anuncie Aqui

  • Se você viu, seu cliente também verá!

  • Fale Conosco

    Print Friendly, PDF & Email
    Inscrição

    Enviar Carta