Clube de Engenharia
Fundado em 1880

O que você procura?
Revista
Autores
Categorias
Subcategorias
Tags

Petrobras receberá prêmio OTC por tecnologias para renovação da Bacia de Campos

Rio de Janeiro - Edifício sede da Petrobras no Centro do Rio. (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Oscar do setor consagra protagonismo da Petrobras em tecnologias para campos maduros offshore. Companhia alcança redução de 55% nas emissões de gases de efeito estufa no campo de Marlim, na Bacia de Campos

No ano em que o Brasil celebra 50 anos da descoberta da Bacia de Campos (RJ), berço da produção nacional em águas profundas, a Petrobras receberá, pela quinta vez, o principal prêmio da indústria global offshore: o OTC Distinguished Achievement Award 2024, considerado o Oscar do setor.

Anunciado pela OTC (Offshore Technology Conference) nesta quinta-feira (25/1), o prêmio reconhece a contribuição do Programa de Renovação da Bacia de Campos para a indústria mundial, com destaque para a revitalização do campo de Marlim, que impulsionou o desenvolvimento de um conjunto de tecnologias pioneiras para campos maduros em águas profundas. Esse avanço permitiu, em Marlim, a redução de 55% das emissões de gases de efeito estufa do escopo 1 (resultantes das operações da própria companhia).

“O prêmio OTC consagra a competência do Brasil em tecnologias para águas profundas e evidencia o avanço da Petrobras na descarbonização de suas operações. É a vitória da criatividade e da ousadia de nossos profissionais, reconhecidos mundialmente por sua capacidade técnica, deixando um verdadeiro legado de conhecimento e soluções inovadoras para o setor”, disse o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates. “Ao mesmo tempo, demonstra a longevidade dos benefícios decorrentes de investimentos feitos meio século atrás” completou o executivo.

Maior programa de revitalização da indústria

A renovação da Bacia de Campos integra o maior programa de recuperação de ativos maduros em águas profundas no mundo. Com 49 anos de descoberta e 46 de produção, a bacia segue produtiva e estratégica para o país.  Para se ter ideia, o programa adicionou em dezembro de 2023, mais de 230 mil barris por dia (bpd) à produção brasileira.

Esse resultado foi alcançado com a entrada em produção, em 2023, de duas novas plataformas no campo de Marlim – os FPSOs Anita Garibaldi e Anna Nery -, além da perfuração de 45 novos poços desde 2020 nos demais campos da Bacia de Campos. FPSO é a sigla para unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo.

Futuro da Bacia de Campos

A renovação da Bacia de Campos segue em ritmo acelerado. A próxima unidade programada para entrar em operação é o FPSO Maria Quitéria, em 2025, no campo de Jubarte, na porção capixaba da bacia. Além disso, estão em fase de contratação dois novos FPSOs:  um para o campo de Albacora e outro para os campos de Barracuda e Caratinga.

Em paralelo, a Petrobras segue com a perfuração de novos poços na região, com os trabalhos de extensão de vida útil da infraestrutura existente, assim como continua com os estudos para possíveis novas unidades de produção em diversos campos da bacia, tais como Albacora, Marlim Sul, Marlim Leste, Jubarte e Roncador. Além disso, a companhia prossegue com os estudos exploratórios para as áreas de Norte de Brava e Água Marinha.

Avanços tecnológicos

A revitalização da Bacia de Campos impulsionou o desenvolvimento de uma série de soluções tecnológicas inovadoras nos segmentos de construção de poços, equipamentos submarinos e sistema de superfície. Essas inovações permitiram não só a redução de emissões, como também a redução significativa de custos e aumento da segurança nas operações.

Uma das tecnologias pioneiras foi uma solução inédita adotada para a construção de poços no pós-sal, patenteada pela Petrobras: o chamado TOT-3P (em que a perfuração do poço é obtida em três fases). O novo conceito consiste em uma configuração de poço mais otimizada e simplificada, permitindo redução de 49% no tempo de construção de poços (de 110 para 56 dias), além de diminuir em cerca de 50% os custos operacionais e as emissões de CO2 nas atividades de construção de poços.

Além disso, a Petrobras adotou um novo modelo de padronização de dutos flexíveis, definindo o conjunto completo de condições técnicas para o projeto das linhas a fim de atender aos diversos cenários de projetos. Esse novo conceito buscou reduzir a variabilidade de tipos de dutos flexíveis e, consequentemente, os prazos para as atividades de engenharia, contratação e fornecimento.

Em paralelo, com a utilização de novos métodos e tecnologias, a Petrobras conseguiu aumentar a vida útil e a reutilização dos dutos flexíveis e das chamadas “Árvores de Natal molhadas”, com o consequente aumento da economicidade e redução de emissões de gases de efeito estufa dos projetos. A Petrobras contribuiu para incorporar esse conhecimento em normativos atuais e futuros da indústria offshore – em mais um reconhecimento ao pioneirismo da companhia.

Jornada pioneira na Bacia de Campos

A Bacia de Campos cravou seu lugar na história por ter se tornado o berço da exploração e produção em águas profundas no Brasil – e um autêntico polo de inovações reconhecidas internacionalmente por dois prêmios OTC. O primeiro, entregue em 1992, consagrou as inovações desenvolvidas pela Petrobras para tornar viável a produção do campo de Marlim. E o segundo, entregue em 2001, reconheceu as tecnologias concebidas para desenvolver o campo de Roncador – também localizado naquela bacia.

Foi na Bacia de Campos que colocamos em operação o primeiro FPSO (unidade flutuante de produção, armazenagem e transferência de óleo) da Petrobras, e o segundo do mundo. E foi ali onde a Petrobras instalou um verdadeiro laboratório em escala real para o desenvolvimento de tecnologias pioneiras em águas profundas e ultraprofundas.

Outros prêmios OTC

A OTC é considerada a entidade mais relevante da indústria offshore. O prêmio Distinguished Achievement Award 2024 será entregue à Petrobras em 5/05, durante a cerimônia de premiação do congresso da OTC, realizado anualmente em Houston (EUA).

Além dos três prêmios concedidos pela Petrobras pelas inovações na Bacia de Campos, o desenvolvimento do pré-sal também foi reconhecido duas vezes. O primeiro deles foi entregue em 2015, pelas soluções pioneiras concebidas para o campo de Tupi – e, o segundo em 2020, pelas inovações desenvolvidas para o campo de Búzios.

Prêmios OTC recebidos pela Petrobras

  • 1992 – Tecnologias inovadoras de produção em Marlim
  • 2001 – Inovações desenvolvidas para a produção em Roncador
  • 2015 – Soluções pioneiras para Tupi
  • 2020 – Inovações desenvolvidas para a produção em Búzios
  • 2024 – Novas tecnologias adotadas na revitalização da Bacia de Campos
Print Friendly, PDF & Email

Recomendado

Próximos Eventos

  • Anuncie Aqui

  • Se você viu, seu cliente também verá!

  • Fale Conosco

    Print Friendly, PDF & Email
    Inscrição

    Enviar Carta