Clube de Engenharia
Fundado em 1880

O que você procura?
Revista
Autores
Categorias
Subcategorias
Tags
Cooperação internacional pode alavancar produção de energia renovável pelo Brasil

Cooperação internacional pode alavancar produção de energia renovável pelo Brasil

Presidente Lula com o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa. Crédito: Ricardo Stuckert/PR
Cooperação internacional pode alavancar produção de energia renovável pelo Brasil
IA - Inteligência Artificial

Governo assina memorandos que abrem caminho para o desenvolvimento de pesquisas e para projetos nas áreas eólica, solar e de biomassa, entre outras

Apesar da necessidade de se assegurar a soberania nacional sobre o setor energético e as riquezas naturais e de se incentivar o desenvolvimento tecnológico do país, a cooperação internacional é um caminho que tende a trazer oportunidades de avanços a diversificação e incremento da matriz brasileira. Por isso, merece atenção os acordos recentes que o Brasil vem assinando com alguns países, o que pode alavancar a produção de energia, fundamental para a retomada do crescimento econômico. Entre janeiro e maio deste ano, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já visitou oito países e trouxe como fruto a assinatura de memorandos voltados para o estabelecimento de parcerias importantes para as áreas nuclear e de fontes renováveis.

A missão do Brasil na China teve alguns contratempos, mas foi a mais frutífera em termos de projetos que foram semeados. A ida do presidente Lula ao país asiático, realizada entre 13 e 14 de abril, sofreu adiamento em virtude de problemas de saúde do mandatário. No entanto, não impediu a reaproximação. O quase congelamento das relações sino-brasileiras nos últimos anos provocou uma guinada agora mais forte até nas relações diplomáticas, com uma enxurrada de acordos, grande parte deles na área energética.

Cooperação internacional pode alavancar produção de energia renovável pelo Brasil cooperacao internacional pode alavancar producao de energia renovavel pelo brasil cooperacao internacional pode alavancar producao de energia renovavel pelo brasil
Xi Jinping e Lula. Crédito: Ricardo Stuckert/PR

Um dos memorandos assinados envolveu a Prumo Logística e a empresa de energia chinesa SPIC para a realização de estudos de avaliação de viabilidade financeira e técnica de projetos de energia renovável no Porto do Açu, no litoral Norte do Estado do Rio de Janeiro. No lugar, há potencial para a produção de energia eólica offshore, solar e de produção de hidrogênio combustível.

Cooperação internacional pode alavancar produção de energia renovável pelo Brasil cooperacao internacional pode alavancar producao de energia renovavel pelo brasil cooperacao internacional pode alavancar producao de energia renovavel pelo brasil 2
Porto do Açu é um dos locais que serão beneficiados. Crédito: Prumo Logística

Acordos assinados em Pequim envolvendo da mineradora Vale também têm como objetivo a geração de energia mais limpa. Junto com a Baoshan Iron & Steel, do grupo Baowu, a companhia brasileira vai desenvolver projeto para a produção de biocarvão, a partir de biomassa. O substituto será usado para a descarbonização da indústria siderúrgica e contribuir para o combate ao efeito estufa. A mineradora também assinou com bancos chineses financiamento para projetos que contemplam a utilização de outras fontes de energia renovável.

A empresa brasileira de soluções em energia renovável Motrice, com sede em São Paulo, que tem usinas em vários estados, iniciou entendimentos com a multinacional chinesa Gansu International Corporation for Economic and Technical Cooperation Co. (CGICO) para o desenvolvimento de projetos na área de energias renováveis. Outro grupo do país asiático,  a Gansu TUS Green Technology Innovation,  assinou acordo com o governo do Ceará para investimentos no estado nordestino. Faz parte desse grupo a Tsinghua University, a 14ª melhor universidade do mundo e referência mundial em inovação, que vai estabelecer parcerias com as universidades locais para o desenvolvimento de projetos com fontes alternativas, como o hidrogênio verde.

Outro resultado da missão à China, foi a assinatura de acordo entre o Ministério de Minas e Energia e a SPICcom o objetivo de realizar estudos de viabilidade para construção e operação de pequenas usinas de energia solar. As unidades serão complementadas por miniturbinas eólicas, baterias e purificadores de água, e vão beneficiar áreas remotas e isoladas da Floresta Amazônica.

No final de abril, comitiva brasileira chefiada pelo presidente visitou Portugal e Espanha. O primeiro-ministro português, António Costa, anunciou que empresas do país ibérico vão investir nos próximos anos 5,7 mil milhões de euros no desenvolvimento de projetos energéticos no Brasil. 

O tour prosseguiu para a Espanha, onde foi assinada uma importante carta de intenções da qual são signatários o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação brasileiro e o Ministério da Ciência e da Inovação do Reino da Espanha. Os dois órgãos se comprometeram a desenvolver parcerias voltadas para a transição energética, mas também vão realizar projetos conjuntos que podem trazer valiosos resultados nas áreas de saúde, meio ambiente e mudança climática, alimentos de maior qualidade e valor agregado, novos recursos para a Indústria 4.0, produção mais limpa ou sustentável, mobilidade e transporte avançado, tecnologias da informação e comunicações.

Durante a visita de Lula a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, foi anunciado um investimento de R$ 12 bilhões para a construção de usina de biodiesel na Bahia.

O setor energético também foi uma das tônicas da visita de Lula a Buenos Aires, na Argentina, principalmente com relação à energia nuclear. O país vizinho vai atuar no projeto de construção do Reator Multipropósito Brasileiro (RMB) [Leia também nesta edição matéria especial sobre esse projeto]. Também houve o início de negociação sobre um possível financiamento do BNDES à construção de gasoduto entre os dois países.

Print Friendly, PDF & Email

Recomendado

Próximos Eventos

Fale Conosco

Print Friendly, PDF & Email
Enviar Carta
Inscrição