Clube de Engenharia
Fundado em 1880

O que você procura?
Revista
Autores
Categorias
Subcategorias
Tags
Geração solar distribuída deve ser estimulada e não reprimida

Geração solar distribuída deve ser estimulada e não reprimida

Crédito: Creative Commons
Geração solar distribuída deve ser estimulada e não reprimida
Soberania Energética

Por James Bolivar Luna de Azevedo

Há cinco anos que tenho energia solar em minha residência. Além disso, através de nossa empresa já instalamos mais de 40 sistemas em locais de consumo. O custo de geração médio desta energia é de 0,14 R$/kWh, enquanto que a tarifa da concessionária já passa de 1 R$/kWh.

Este tipo de geração só traz benefício para todos: para os próprios geradores, para os demais consumidores, para a economia, etc.

Nós, geradores solares, fazemos nossa geração com recursos próprios. Por anos a fio pagamos uma tarifa exorbitante e contribuímos para a construção de um sistema de geração centralizada, de um sistema de transmissão e distribuição, e com encargos e taxas. Quando passamos a gerar, deixamos de consumir energia da rede, não precisamos de transmissão e diminuímos nossa necessidade da rede de distribuição. Isto tudo fica para os demais consumidores, diminuindo a necessidade de investimentos no sistema elétrico.

Geração solar distribuída deve ser estimulada e não reprimida pexels photo 4254168
Crédito: Pexels

A grande maioria dos geradores solares tem créditos de geração, ou seja, produzimos mais do que a necessidade do nosso consumo. Dizer que consumimos da rede não é correto. Aqueles que consomem alguma parcela da rede pagam este consumo pela tarifa normal dos demais consumidores. 

Então, não consumimos energia da rede. O que ocorre é uma troca de energia entre o gerador solar e os outros consumidores. A legislação fala em empréstimo. De dia geramos mais que a nossa necessidade e injetamos o excesso na rede. Esta energia injetada é consumida pelos demais consumidores da rede de distribuição. À noite recebemos de volta a energia que injetamos de dia.

Observe que quem realmente consome a energia injetada são os demais consumidores, que já pagam por ela. Se nós formos pagar também por ela, a distribuidora estará recebendo duas vezes pela mesma energia.

O que acontece realmente é que o sistema elétrico, apenas, deixa de gerar, transmitir e distribuir para os demais consumidores na hora de maior consumo, passando a fazê-lo à noite, o que é bom para todos. 

Outro aspecto benéfico para os demais consumidores, é que a distribuidora sempre contará com créditos dos geradores solares o que diminui a necessidade de contratação de energia anual pelas distribuidoras para atender aos demais consumidores. 

Na verdade, o que devemos pagar para a distribuidora é apenas o custo que ela tem pelo fato de nos disponibilizar a rede para fazer a troca de energia. Todos os benefícios que trazemos para o sistema elétrico ficam para os demais consumidores, não cobramos por eles.

Além do que produzimos uma energia renovável, aumentamos a geração de emprego menos especializado, etc.

Dizer que os geradores solares distribuídos trazem prejuízo para os demais consumidores e que estes prejuízos estão onerando a tarifa é um erro crasso irreparável. Um desserviço ao país.

James Bolivar Luna de Azevedo.

Print Friendly, PDF & Email

Sobre o Autor

James Bolivar Luna de Azevedo

James Bolivar Luna de Azevedo

Bio: Engenheiro civil, formado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com mestrado em Engenharia Nuclear pela COPPE/UFRJ e especialização em Planejamento Energético pela ENERDATA, na França. É subchefe da Divisão Técnica de Energia (DEN) do Clube de Engenharia e consultor na área de mercado e comercialização de energia.

Recomendado

Próximos Eventos

Fale Conosco

Print Friendly, PDF & Email
Enviar Carta
Inscrição